30 dezembro 2016

Tteokbokki simples



Também conhecido como ddeokbokki, é um prato coreano muito tradicional e popular, que frequentemente pode ser comprado na rua, em barraquinhas de vendedores ambulantes.
Além do garaetteok  e do gochujang que não podem faltar, os ingredientes típicos do tteokbokki são: eomuk, cebolinha, gochugaru, alho, ovos cozidos, entre outros, tudo dependendo do tipo de tteokbokki, que na atualidade já passou por várias fusões.
O tteokbokki que preparei hoje, foi o mais simples, o de rua mesmo, só coloquei como guarnição a cebolinha e as sementes de gergelim! Mas no de rua, na maioria das vezes, nem isso tem!

Ingredientes:
- 250 g de garaetteok
- 400 ml de água fria
- 6 g de hondashi
- 1 colher (sopa) cheia de goghujang
- 1 colher (sobremesa) cheia de gochugaru
- 1 colher (sobremesa) rasa de adoçante culinário
- 3 ramos de cebolinha
- sementes de gergelim brancas a gosto (opcional)
- óleo de gergelim torrado a gosto (opcional)

Modo de preparo:
- Corte a cebolinha em pedaços de aproximadamente 5 cm. Reserve.
- Se seu garaetteok estiver congelado, deixe-o de môlho na água fria por cêrca de 30 minutos. Passado o tempo, escorra e descarte a água. Reserve.
- Coloque a água numa panelinha e leve ao fogo Assim que ferver, adicione o hondashi e desligue o fogo. Transfira o caldo para uma panela que comporte todos os ingredientes.
- Numa tigela, misture bem o gochujang, o gochugaru e o adoçante. Dissolva essa mistura no caldo preparado e leve ao fogo alto. Acrescente o garaetteok. Quando comerçar a ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhando até ele ficar macio e o caldo começar a engrossar, mexendo frequentemente e cuidadosamente para que eles não grudem no fundo da panela. Se o caldo apurar e o garaetteok ainda não estiver macio, acrescente um pouco mais de água e deixe mais alguns minutos.
- Apague do fogo e distribua a cebolinha. Opcionalmente polvilhe sementes de gergelim brancas a gosto e regue com alguns fios de óleo de gergelim torrado. Sirva em seguida.

Meu garaetteok infelizmente se desmanchou um pouco, pois já estavam moles antes de serem cozidos (mais que o normal kkkkkk), mas não foi por isso que não ficaram bons! Comê-los se desmanchando, me lembrou a textura do queijo derretido, imerso nesse molho delicioso!

Garaetteok de microondas



Garaetteok é um tipo de mochi (tteok) coreano, de forma cilíndrica, utilizado no preparo de alguns pratos, que também pode ser cortado em fatias finas, dependendo do prato a ser preparado.
A diferença entre ele e o mochi japonês, é que no preparo do garaetteok vai um pouquinho de sal e óleo de gergelim.

Ingredientes:
- 300 g de farinha de arroz mochiko
- 300 ml de água fervente
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal

Modo de preparo:
- Coloque o mochiko, o sal e água fervente em um refratário e misture tudo formando uma massa homogênea.
- Leve ao microondas por 3 minutos na potência alta.
- Dê uma revolvida e volte ao microondas por mais 2 minutos, quando a massa ficará bem consistente.
- Aguarde esfriar um pouco e coloque a massa em um saco plástico resistente e grande o suficiente para comportá-la. Com o auxílio de uma panela pequena, bata constantemente com a base da panela sobre o saco plástico, virando-o algumas vezes.
- A massa gruda dentro do saco plástico, mas continue repetindo o processo, batendo de todos os lados, até que a massa fique homogeneamente macia e elástica. Se o saco se romper, coloque o mesmo dentro de outro e continue o processo.
- Unte a bancada com óleo de gergelim.
- Corte a massa em partes iguais, em seguida, com as mãos, role cada porção sobre a bancada, formando cilindros de aproximadamente 1.5 cm de espessura. Corte cada cilindro com aproximadamente 5 cm de comprimento. As sobras da massa devem ser roladas novamente, formando novos cilindros, para que não haja desperdício.
- Unte as mãos com óleo de gergelim e passe sobre os cilindros. Além do sabor, isso evitará que se grudem entre sí.
- Pode ser consumida logo em seguida, ou se for congelar, coloque-os em saquinhos ou recipientes plásticos.

Para usá-los fatiados, deixe-os secarem à temperatura ambiente por várias horas para que fiquem mais compactos e fáceis de serem cortados, e então fatie-os na diagonal.

27 dezembro 2016

Hamburgers ovais acebolados de linguiça toscana



Hoje, mais um mimo para a minha barriga, esse hamburger é o tipo de coisa que eu comeria até enjoar!
Mas eu me controlo. Depois de passar anos fazendo meditação, ouvindo gurus e recitando mantras em sânscrito, já não sou mais o mesmo e hoje sou uma pessoa “alimentarmente” reeducada e não tenho mais apego a alimentos quaisquer.
Mas, é no final de ano que eu abuso!!!!! Kkkkkkk
Podem ver pela receita, que eu não temperei nada. O tempêro todo ficou por conta da própria linguiça que já é temperada, mas, se preferirem fazê-lo fica a critério de cada um. Cuidado com o sal!
Gente, vocês não tem idéia de como o trem fica bão! Façam e depois me contem!

Ingredientes:
- 500 g de linguiça toscana
- 1 xícara (chá) cheia de cebolinha picada
- 150 g de cebola
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Corte a cebola em meia lua fina. Reserve.
- Faça um corte longitudinal em cada linguiça e separe a carne da tripa que envolve a linguiça e coloque numa bacia. Descarte as tripas e ao máximo, os pedacinhos de gordura que conseguir.
- Acrescente a cebolinha picada. 
- Misture bem e divida em 2 porções. Molde cada porção em forma de um hamburger oval.
- Coloque 3 fios de óleo da canola numa frigideira e leve ao fogo alto. Assim que esquentar, abaixe o fogo para o mínimo e coloque os hamburgers. Deixe fritar lentamente, de ambos lados até ficarem dourados. Coloque no prato.
- No mesmo óleo onde foram fritos os hamburgers, acrescente a cebola - se necessário coloque mais 1 fio de óleo. Salteie até ficarem douradas e coloque sobre os hamburgers. Sirva em seguida.

Coloquei um pouco de arroz e ragù meat beans no prato, e essa lindeza entrou como guarnição!

Bauru no pão de chia



Bateu a larica! Kkkkkk
Kamikaze preparou um bauru no pão de chia, com presunto, queijo prato, tomatinhos grape, instantâneo, no microondas, um minuto!
Com licença que vai esfriar......

26 dezembro 2016

Pão de queijo de frigideira



Continuando com a saga da fécula de mandioca, acabei de preparar um pão de queijo de frigideira, quentinho e fresquinho!
Facílimo de ser feito, não faz sujeira e fica pronta em minutinhos!
Se você preferir, pode ser recheada com qualquer recheio a seu critério e preparada a qualquer hora, quando bate aquela larica!

Ingredientes:
- 2 colheres (sopa) cheias de fécula de mandioca pré-hidratada ou polvilho
- 1 ovo pequeno
- 5 g de queijo parmesan ralado
- 25 ml de leite desnatado

Modo de preparo:
- Com o auxílio de um fouet, bata bem todos os ingredientes - eu utilizei a fécula de mandioca pré-hidratada.
- Leve uma panquequeira de 20 cm de diâmetro ou frigideira ao fogo médio. Não é necessário untá-la. Assim que esquentar, coloque a massa, espalhando-a pela panquequeira. Quando a massa estiver dourada por baixo, com o auxílio de uma espátula, vire-a para dourar do outro lado.
- Coloque no prato e sirva em seguida.

Crepioca de queijo e tomatinhos grape



Diferente da tapioca, a crepioca é a massa preparada com a fécula de mandioca adicionando-se ovos ou leite, fazendo com que a consistência e o aspecto da massa fiquem diferentes, tornando-a mais encorpada, com aspecto de crepe e rica em proteínas. Alguns utilizam apenas as claras dos ovos.
Assim como na tapioca, a frigideira utilizada não precisa ser anti-aderente, basta ter a superfície lisa e não é necessário untá-la.

Ingredientes:
- 2 colheres (sopa) cheias de fécula de mandioca pré-hidratada ou polvilho
- 1 ovo pequeno inteiro ou apenas a clara ou 50 ml de leite desnatado
- 2 fatias de queijo prato
- 6 tomates grape

Modo de preparo:
- Com o auxílio de um fouet, bata bem todos os ingredientes - eu utilizei o ovo inteiro e a fécula de mandioca pré-hidratada.
- Leve uma panquequeira de 20 cm de diâmetro ou frigideira ao fogo médio. Não é necessário untá-la. Assim que esquentar, coloque a massa, espalhando-a pela panquequeira. Se você não possuir a panquequeira e se sua frigideira for grande, não há problema. Coloque a massa no centro e vá virando a frigideira ou use as costas de uma colher de sopa para espalhar a massa, para que ela fique do tamanho de uma panqueca. Ela não é tão líquida assim, então não dará trabalho. Quando a massa estiver coagulada, isto é, os grânulos estiverem grudadinhos, vire a massa com o auxílio de uma espátula, para coagular do outro lado.
- Coloque no prato e em metade da massa o queijo e os tomates grape. Feche-a dobrando a outra metade sobre o recheio, formando uma meia-lua. 
- Leve ao microondas por 40 segundos, sómente para derreter o queijo. Sirva em seguida.

Ao invés de fazer a crepioca em forma de meia-lua, você também pode enrolá-la em forma de panqueca, fazê-la aberta como se fosse uma pizza ou dobrada em forma de envelope. É uma massa bem versátil e os recheios podem ser os mais variados, tudo vai da sua imaginação!

Tapioca de presunto, queijo e tomatinhos grape



Tapioca é a massa preparada com fécula de mandioca, que ao ser espalhada sobre uma chapa ou frigideira aquecida, devido ao calor, fazem os grânulos da fécula se juntarem, coagulando e transformando-se em um tipo de panqueca.
A frigideira utilizada não precisa ser anti-aderente, basta ter a superfície lisa e não é necessário untá-la.
Há quem leve a frigideira ao fogo e quando ela estiver quente, espalhe a fécula. Porém, os grânulos se coagulam rápidamente, então, o processo deve ser rápido para não comprometer o prato. Mas, ela pode ser preparada de outra forma: espalhe a fécula sobre a frigideira ainda fria e depois, leve ao fogo. Eu prefiro assim, para não causar afobação! Kkkkkkk
Vale lembrar que fécula de mandioca, amido de mandioca, polvilho, enfim, é tudo a mesma coisa. Apenas o modo de preparar é que muda. Alguns utilizam goma de tapioca pronta, ou seja, pré-hidratada. Outros preferem utilizar o polvilho, que neste caso, deve ser hidratado para o preparo da tapioca. Mas vocês devem estar se perguntando, no caso do polvilho, o que é melhor, o doce ou o azedo?
Vai do gosto de cada um. O polvilho azedo deixa a massa mais aerada, agindo como se fosse um fermento. Já o doce, deixa a massa mais compacta. Para aproveitar as vantagens de cada um, há quem misture meio a meio nas receitas. Portanto, nada melhor do que ir testando, até que você fique satisfeito com as proporções que definiu.
Para hidratar o polvilho, utilize a proporção de 500 ml de água para cada quilo de polvilho. Coloque o polvilho numa bacia e vá acrescentando a água, sem colocá-la toda de uma vez só. Vá amassando e desmanchando os grânulos, até formar uma farofa úmida.
Faça um teste: utilizando uma peneira de tramas grossas, peneire uma pequena quantidade e coloque na frigideira quente. Se estiver seca e solta, precisa de mais água.
Atingido o ponto, peneire tudo. O que não for utilizar no dia, mantenha sob refrigeração por até 3 dias. Se não for utilizar nos próximos 3 dias, então, congele em porções e quando for utilizar, deixe descongelando na geladeira um dia antes ou em temperatura ambiente, por cêrca de 2 horas antes de ser utilizada. O mesmo vale para a fécula pré-hidratada.

Ingredientes:
- 3 colheres (sopa) cheias de fécula de mandioca pré-hidratada ou polvilho
- 1 fatia de presunto
- 1 fatia de queijo prato
- 6 tomates grape

Modo de preparo:
- Sobre uma panquequeira de 20 cm de diâmetro ou frigideira, espalhe a fécula formando um círculo. Não é necessário untá-la. Eu utilizei a fécula de mandioca pré-hidratada. Se quiser ela maior, acrescente mais fécula.
Leve ao fogo médio. Quando a massa estiver coagulada, isto é, os grânulos estiverem grudadinhos, vire a massa com o auxílio de uma espátula, para coagular do outro lado. Ela não fica dourada.
Coloque no prato e em metade da massa disponha o presunto, o queijo e os tomates grape. Feche-a dobrando a outra metade sobre o recheio, formando uma meia-lua. 
- Leve ao microondas por 40 segundos, sómente para derreter o queijo. Sirva em seguida.

25 dezembro 2016

Mochi de microondas feito com mochiko



Desta vez vou postar a receita do mochi, bolinho japonês de arroz, feito com mochiko.
Só prá variar um pouco, sou péeeessimo prá moldar, deixar ele redondinho, lisinho! kkkkkk

Diferente do mochi feito com mochigome, o feito com mochiko não é necessário deixar de molho e nem bater no liquidificador - pulam-se estas etapas - é bem mais fácil e faz menos sujeira! Kkkkkkk
Porém, ele fica mais caro, já que o custo do mochiko é mais alto que o do mochigome.

Ingredientes:
- 300 g de farinha de arroz mochiko
- 400 ml de água fervente
- 3 colheres (sopa) amido de milho

Modo de preparo:
- Coloque o mochiko e a água em um refratário e misture tudo formando uma massa homogênea.
- Leve ao microondas por 3 minutos na potência alta.
- Dê uma revolvida e volte ao microondas por mais 2 minutos, quando a massa ficará bem consistente. Caso ainda esteja meio líquido, volte ao microondas por mais 30 segundoss.
- Aguarde esfriar um pouco e coloque a massa em um saco plástico resistente e grande o suficiente para comportá-la. Com o auxílio de uma panela pequena, bata constantemente com a base da panela sobre o saco plástico, virando-o algumas vezes.
- A massa gruda dentro do saco plástico, mas continue repetindo o processo, batendo de todos os lados, até que a massa fique homogeneamente macia e elástica. Se o saco se romper, coloque o mesmo dentro de outro e continue o processo.
- Feito isso, se preferir, transfira toda a massa para um refratário para continuar o preparo.
- Distribua o amido de milho em um prato raso grande. Reserve.
- Com as mãos molhadas e com o auxílio de uma colher se sopa, pegue uma pequena porção da massa e vá moldando o mochi com as mãos. Em seguida, passe sobre o amido de milho para não grudar. O ideal é que tenham 2 pessoas fazendo isso: uma moldando e colocando no prato onde está o amido de milho e outra passando o amido de milho por toda a superfície do mochi. Faça isso com toda a massa.
- Pode ser consumida logo em seguida, ou se for congelar, faça-o colocando o mochi num prato ou travessa rasa, com um pequeno espaçamento entre um e outro para que não grudem, e depois de congelados deixe armazenado em saquinhos ou recipientes plásticos.

24 dezembro 2016

Torta folhada de takenoko, shimeji e cream cheese



Hoje, para a ceia de Natal, preparei uma deliciosa torta e que eu adoro!!!!!!! Se estiver geladinha então, nem se fala!!!!!!
É o tipo de prato que agrada a todos ou quase, né? Kkkkkkk
Se vocês não acharem takenoko, pode ser feito com palmito - também fica ótimo! É que eu tinha takenoko que eu comprei e congelei justamente para preparar essa delícia!
Pessoal, desejo a todos vocês um Feliz Natal, repleto de espírito natalino, aquilo que faz com que esse dia seja tão mágico! 

Ingredientes:
- 400 g de massa folhada semi laminada congelada
- 350 g de takenoko limpo e cozido
- 100 g de shimeji
- 100 g de azeitonas verdes sem caroço
- 150 g de tomate longa vida picado
- 1 xícara (chá) rasa de cebolinha picada
- 2 colheres (sopa) cheias de cebola picada
- 1 colher (sobremesa) rasa de alho picado
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- 100 g de cream cheese
- óleo de canola
- farinha de trigo para polvilhar
- molho de soja para pincelar

Modo de preparo do recheio:
- Coloque 2 fios de óleo de canola numa wok e leve ao fogo alto. Assim que esquentar, coloque a cebola e o alho picados. 
- Assim que dourarem, coloque o takenoko, o shimeji e o tomate picado.
- Tempere com sal e aji-no-moto, misture tudo e deixe cozinhando em fogo brando por 5 minutos.
- Passado o tempo, acrescente a cebolinha picada e as azeitonas. Desligue o fogo, misture bem e aguarde esfriar totalmente, para não comprometer o propósito da massa folhada.

Montagem:
- Coloque a massa no refrigerador por cêrca de 12 hs antes do preparo ou em temperatura ambiente por cêrca de 2 hs, para descongelar.
- Polvilhe farinha de trigo sobre a bancada. Divida a massa ao meio, no sentido transversal e com o auxílio de um rolo, abra cada massa em um retângulo de 17 x 28 cm.
- Utilizando uma assadeira com as mesmas dimensões (17 x 28 cm), coloque uma camada de massa folhada. Não é necessário untar a assadeira. Por cima, espalhe o cream cheese uniformemente. Sobre o cream cheese, coloque todo o recheio uniformemente. Sobre ele, coloque mais uma camada de massa folhada.
- Opcionalmente, pincele molho de soja sobre a torta e leve ao forno alto pré-aquecido por 30 minutos.
- Corte a torta e sirva, ou então, aguarde esfriar e coloque para gelar, fica perfeito!

Salada de lagarto desfiado, legumes e ovos



Hoje preparei mais uma saladinha para comer com meu pão semi-integral, na larica da madruga.
Desta vez, utilizei lagarto, por ser um corte bovino com pouca gordura entremeada.
Ao ler a receita, alguns vão perguntar: - “uma peça de lagarto não é muito?”
Tudo depende de quantas pessoas vão comer e por quanto tempo.
No meu caso, como sou só eu e como eu não vou consumir toda a peça de imediato, o que eu fiz?
Dividí a peça cozida em porções, separei o que eu vou consumir nos próximos dias e congelei o restante. Quando eu quiser preparar outra porção, descongelo e preparo outro molho. A carne já está cozida! Muito simples, não?

Ingredientes (a gosto):
- 1 peça de lagarto
- ovos
- cenoura
- cebola
- pepino japonês
- pimentão verde
- salsinha
- sal
- aji-no-moto
- vinagre de maçã
- azeite de oliva extra-virgem

Modo de preparo:
- Limpe a carne, retirando e descartando o máximo de gordura superficial possível.
- Coloque a peça limpa na panela de pressão, coloque água até o nível de 2 dedos abaixo da carne e leve para cozinhar, na pressão, fogo brando, por 40 minutos.
- Passado o tempo, retire a carne da panela e aguarde esfriar. O caldo remanescente, poderá ser aproveitado para outros fins, pois é saboroso e rico em nutrientes.
- Esfriada a carne, divida-a em porções e corte cada porção em fatias de aproximadamente 0.5 cm ou menos. Coloque uma porção por vez no processador de alimentos e triture a carne, até que ela fique toda desfiada. Feito isso, as porções que não serão usadas, devem ser embaladas e congeladas. Separe a porção a ser utilizada e coloque numa vasilha.
- Coloque os ovos numa panelinha, cubra com água e leve ao fogo alto. Assim que ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhando por 10 minutos. Passado o tempo, escorra a água e deixe os ovos esfriarem. Descasque-os e corte em pedaços. Coloque na vasilha.
- Corte a cenoura, a cebola, o pepino japonês, o pimentão verde e a salsinha em pedaços, coloque no processador e pulse várias vezes até que fiquem picados (se não possuir um processador, use um ralador de mão) e coloque tudo na vasilha.
- Polvilhe o sal e o aji-no-moto e regue com o vinagre até umedecer todos os ingredientes - não coloque muito, para não ficar muito ácido com o tempo - e finalize com azeite de oliva extra-virgem a gosto.
- Misture tudo muito bem e coloque num recipiente fechado, sob refrigeração.

22 dezembro 2016

Gochujang vapt-vupt



Hoje vou passar para vocês uma receitinha rápida de gochujang, para os momentos de desespêro, em que você precisa da pasta mas não tem onde comprar, tampouco esperar longos meses de fermentação para que ela fique pronta!!!!!
Estava em dúvida se a preparava, pois tinha receio em perder muito da complexidade de sabores e também do umami do verdadeiro gochujang, mas depois de consultar uma coreana especialista no assunto, ela me disse que ao ver a receita, é provável que o resultado seja um gochujang similar ao que eles compram nas lojas de produtos coreanos, que são quase sempre com esses ingredientes. Apesar dela ter sentido falta do xarope de milho na receita, ela acha totalmente válido prepará-lo, então aquí vou eu! Se vocês quiserem substituir o adoçante pelo xarope de milho, façam-no!
Não ficou tão vermelho intenso, pois utilizei o misso vermelho, que na verdade não é vermelho, mas sim, marrom!

Ingredientes:
- 90 ml de água fria
- 4 colheres (sopa) cheias de adoçante culinário
- 100 g de misso
- 1 colher (chá) cheia de sal
- 1 colher (sopa) de sake culinário
- 1 colher (sopa) de vinagre de arroz

Modo de preparo:
- Coloque a água em uma panelinha e acrescente o adoçante e misture até dissolver completamente. 
- Na sequência, leve ao fogo médio, aguarde esquentar, coloque o misso no missokoshi e dissolva-o dentro na panela. Quando o caldo ficar quase concentrado e bôlhas comecem a surgir na superfície, acrescente o gochujangyong gochugaru e misture bem. Mantenha em fogo baixo, misturando bem até que fique tudo homogêneo. 
- Desligue o fogo e deixe esfriar a 25ºC. Nas sequência, acrescente o sal, o sake culinário e o vinagre de arroz e mexa bem. A pasta não pode ficar sêca, deve ficar úmida! Se ficar sêca, acrescente mais sake culinário.
- Coloque dentro de um recipiente e mantenha sob refrigeração por até cêrca de um ano.

19 dezembro 2016

Kimchi parte 12 - Kkakdugi com pasta de chia



Hoje aproveitei para preparar um pouco de kkakdugi, aproveitando o que restou do enorme nabo que eu comprei para fazer meu mak-kimchi.
O kkakdugi que eu preparei anteriormente, estava repleto de ingredientes substituídos.
Desta vez não!
Como já tenho em mãos os ingredientes originais mais importantes, posso prepará-lo mais confiante em conseguir também, um sabor mais original!
O nabo, infelizmente (só que não), continuo utilizando o brasileiro, já que o coreano definitivamente não encontro à venda na minha cidade!
Para preparar o kkakdugi, não é necessário fazer a pasta para misturar os tempêros, mas como eu preparei o mak-kimchi ao mesmo tempo, aproveitei a pasta de chia e preparei os dois com ela. Portanto, se quiser pular a etapa da pasta, não há problema!
De qualquer forma, com pasta ou sem, o kkakdugi é um kimchi deliciosamente crocante, tipo, impossível comer um só!!!!!

Ingredientes:
- 500 g de nabo
- 1 colher (sopa) rasa de sal
- 20 g de sementes de chia
- 2 g de hondashi
- 120 ml de água fria
- 30 g de cebolinha
- 15 g de cebola ralada
- 8 g de gengibre ralado
- 1 colher (sobremesa) rasa de adoçante culinário
- 1 colher (sobremesa) cheia de pimenta em flocos gochugaru
- 3 dentes de alho moídos
- 25 ml de myeolchi aekjeot
- sementes de gergelim brancas a gosto

Modo de preparo:
- Leve a água para ferver. Assim que ferver, acrescente o hondashi e desligue o fogo. Acrescente a chia nesta água fervente, misture bem e deixe repousando por 2 horas. Passado o tempo, se formará uma geléia, que servirá para preparar uma pasta adequada onde serão misturados todos os tempêros.
- Descasque o nabo e corte em fatias de 2 cm de espessura.
- Corte cada fatia em cubos de 2 x 2cm.
- Coloque tudo numa bacia e acrescente 1 colher (sopa) rasa de sal. Misture tudo muito bem e deixe em temperatura ambiente por no mínimo 1 hora, mexendo ocasionalmente.
- Passado o tempo, lave os pedaços de nabo para remover o sal e deixe no escorredor, enquanto prepara a pasta.
- Corte a cebolinha em fatias diagonais de aproximadamente 1 cm. Reserve.
- Incorpore a pimenta em flocos, o adoçante, o alho, o gengibre, a cebola ralada, a cebolinha e o myeolchi aekjeot à geléia de chia e misture bem.
- Coloque toda a mistura sobre os cubos de nabo e misture tudo muito bem com as mãos. Se preferir, coloque em um pote ou então, mantenha na bacia. Pressione para eliminar bolhas de ar, cubra a bacia com filme plástico ou tampe o pote e deixe em temperatura ambiente para fermentar. Dependendo da temperatura e da umidade, será necessário ficar assim por 2 dias. Quanto mais quente e úmido o ambiente, mais rápido o kimchi fermentará. Preste atenção para não fermentar muito, caso contrário, ficará muito ácido. Você saberá que ele está fermentando de 2 formas: pelo cheiro ácido e pelas bolhas que se formam na superfície.
- Após a fermentação, conserve em pote fechado na geladeira para interromper o processo de fermentação. Na verdade, a fermentação não é interrompida - sob refrigeração, o kimchi continuará fermentando, mas muito lentamente. Separe a quantidade a ser consumida e regue com óleo de gergelim.

Kimchi parte 11 - Mak-kimchi com myeolchi aekjeot



Hoje, para o preparo do meu mak-kimchi, utilizei o myeolchi aekjeot no lugar do Nam Pla, que eu FINALMENTE encontrei no bairro do Bom Retiro, em São Paulo. Ele é tão salgado quanto o Nam Pla, então, deve ser utilizado com muita cautela!
Qual foi a diferença?
Sinceramente?
Não sentí nernhuma mudança perceptível entre o uso do myeolchi aekjeot e o Nam Pla. A única mudança, foi que o mak-kimchi ficou mais caro, já que o aekjeot é o dobro do preço do Nam Pla! Kkkkkkkkk
Desta vez, como não havia rabanete na quitanda, fui de nabo! Sem o menor problema, pois é tudo da mesma família!
O umami, como no último mak-kimchi que eu preparei, ficou deliciosamente intenso!

Ingredientes:
- 1 acelga de aproximadamente 2 Kg
- 1 xícara (chá) cheia de sal
- 120 g de sementes de chia
- 10 g de hondashi
- 900 ml de água fria
- 400 g de nabo
- 200 g de cenouras
- 100 g de cebolinha
- 100 g de cebola ralada
- 40 g de gengibre ralado
- 100 g de pimentas dedo-de-moça
- 2 colheres (sopa) cheias de adoçante culinário
- 4 colheres (sopa) cheias de pimenta em flocos gochugaru
- 20 dentes de alho moídos
- 150 ml de myeolchi aekjeot
- sementes de gergelim brancas a gosto

Modo de preparo:
- Corte a acelga em 4 partes no sentido longitudinal. Lave-a e coloque-a numa bacia.
- Esfregue 1 xícara de sal por toda a acelga, usando mais sal próximo ao caule, onde as folhas são mais espessas. Deixe repousando durante 2 horas no mínimo, eventualmente revolvendo toda a acelga. Se preferir, salgue-a antes de ir dormir e continue o preparo depois que acordar.
- Passado o tempo ou no dia seguinte, lave a acelga para remover o sal e eventuais resíduos e posteriormente, aperte com as mãos para eliminar o excesso de água. Corte e descarte o finalzinho do talo - onde as folhas estão prêsas, pois é uma parte muito dura. A seguir, corte em pedaços pequenos e deixe no escorredor, enquanto prepara a pasta.
- Leve a água para ferver. Assim que ferver, acrescente o hondashi e desligue o fogo. Acrescente a chia nesta água fervente, misture bem e deixe repousando por 2 horas. Passado o tempo, se formará uma geléia, que servirá para preparar uma pasta adequada onde serão misturados todos os tempêros.
- Corte o nabo e as cenouras em fatias finas e depois em palitos finos. Reserve.
- Corte a cebolinha em fatias diagonais de aproximadamente 1 cm. Reserve.
- Corte as pimentas dedo-de—moça em fatias finas, com as sementes. Reserve.
- Incorpore a pimenta em flocos, o adoçante, o alho, o gengibre, a cebola ralada, as pimentas dedo-de-moça e o myeolchi aekjeot à geléia de chia. Acrescente a cebolinha, o nabo e a cenoura e misture bem.
- Passe os pedaços de acelga para uma bacia, despeje toda a pasta por cima e misture tudo muito bem com as mãos. Se preferir, coloque em potes ou então, mantenha na bacia. Pressione para eliminar bolhas de ar, cubra a bacia com filme plástico ou tampe os potes e deixe em temperatura ambiente para fermentar. Dependendo da temperatura e da umidade, será necessário ficar assim por 2 dias. Quanto mais quente e úmido o ambiente, mais rápido o kimchi fermentará. Preste atenção para não fermentar muito, caso contrário, ficará muito ácido. Você saberá que ele está fermentando de 2 formas: pelo cheiro ácido e pelas bolhas que se formam na superfície.
- Após a fermentação, conserve em pote fechado na geladeira para interromper o processo de fermentação. Na verdade, a fermentação não é interrompida - sob refrigeração, o kimchi continuará fermentando, mas muito lentamente. Separe a quantidade a ser consumida e regue com óleo de gergelim e salpique com as sementes de gergelim brancas.

10 dezembro 2016

Gochujang



É um dos principais ingredientes da culinária coreana. Trata-se de uma pasta fermentada de pimenta vermelha, preparada com gochujangyong gochugaru, mochiko, soja fermentada, sal e algum tipo de adoçante, como xarope de milho ou mel. O produto acabado é uma pasta escura e intensamente avermelhada, picante, com um complexo sabor concentrado, muito rico em umami.
Tradicionalmente, é fermentada e envelhecida ao longo de vários anos, ao ar livre, em grandes vasos de barro, expostos ao sol e protegidos de insetos durante o dia e cobertos durante a noite. Não é possível prepará-lo em qualquer época do ano. Na Coréia, é típicamente preparado durante os meses frios, pois a fermentação deve ocorrer em dias de sol pleno, antes da chegada das chuvas e do calor intenso.

Mochiko



Ou mochigomeko, é a farinha de arroz mochigome, produzida a partir do mochigome lavado, seco e moído. É muito utilizado no preparo do mochi e para encorpar molhos e outros líquidos.
Existe uma outra variedade, frequentemente utilizada em confeitaria, chamado de shiratamako, onde o mochigome é lavado, embebido em água e moído muito finamente em água. O líquido branco então é pressionado, seco e esmagado, produzindo uma farinha formada de grânulos. Seu gosto é mais cremoso e a textura mais elástica e borrachenta que o mochiko. É também mais cara.

05 dezembro 2016

Frango grelhado com ovo poché e legumes no vapor



Continuando na onda do ovo poché, hoje preparei uma jantinha com gordura zero, super saudável e colorida!
O frango foi grelhado, o ovo foi escalfado e os legumes foram cozidos no vapor! Quer mais?
Ao ver a receita, alguns vão perguntar porquê tem mais quiabo que os outros legumes - apenas uma questão de critério - fazia tempo que eu não quiabo, então resolví colocar um pouco a mais.
Infelizmente, quando fui colocar o ovo poché sobre o frango, ele se desmantelou. Só para efeito de foto, queria que ele tivesse ficado inteiro, porque na hora de comer, a primeira coisa que ia fazer era estourar a gema! Kkkkkkkk
Agora, imagina a gema molinha se misturando com todos os legumes no prato! Hmmmmmm…….
A receita abaixo é para 3 porções!

Ingredientes do frango:
- 250 g de filé de frango
- 1 colher (chá) rasa de sal
- 1 colher (chá) rasa de aji-no-moto
- 1 colher (café) rasa de pimenta do reino
- 2 colheres (sopa) de molho de soja
- 2 colheres (sopa) de sake culinário

Ingredientes dos legumes no vapor:
- 100 g de cenoura
- 100 g de batata doce
- 100 g de vagem
- 200 g de quiabo
- 100 g de tomate grape
- sal a gosto
- aji-no-moto a gosto
- pimenta do reino a gosto
- orégano a gosto
- sementes de chia a gosto

Ingredientes do ovo poché:
- 3 ovos extra-grandes
- sal a gosto
- pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:
- Corte o filé de frango em 3 bifes. Tempere com sal, aji-no-moto, pimenta, molho de soja e sake culinário e deixe marinando na geladeira.
- Descasque e corte a cenoura e a batata doce em cubinhos de aproximadamente 1 cm. Reserve.
- Corte a vagem a o quiabo em pedaços pequenos, de aproximadamente 1 cm. Reserve.
- Coloque água numa panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira, aguarde ferver e coloque a cenoura e a batata doce, lado a lado, sem misturar. Deixe cozinhando por 3 minutos.
- Passado o tempo, abra a panela e acrescente a vagem e o quiabo, lado a lado, sem misturar. Deixe cozinhando por mais 3 minutos.
- Passado o tempo, cuidadosamente, com o auxílio de uma escumadeira retire os legumes e transfira-os para uma travessa, lado a lado, sem misturar, incluindo os tomates grape crús. Reserve.
- Grelhe o frango numa grelha de fogão, fogo baixo, até ficar dourado.
- Enquanto isso, prepare o ovo poché conforme descrito aquí. Depois de pronto, deixe escorrendo sobre um papel toalha.
- Tempere os legumes com sal, aji-no-moto, pimenta do reino, orégano e chia a gosto.
- Coloque o frango no prato e um ovo poché por cima e tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Sirva com os legumes.

03 dezembro 2016

Ovo poché no microondas



Também conhecido como ovo escalfado, a técnica de preparo do ovo poché parece ser, para muitas pessoas, um eterno obstáculo difícil de ser ultrapassado.
Há pessoas que colocam vinagre na água, colocam sal, fazem um redemoinho na água da panela, colocam o ovo dentro de uma trouxinha de filme plástico, enfim! Acertar o ponto do preparo, chega a ser uma arte inacessível aos meros mortais! Eu mesmo já fiz isso, mas no menor descuido, qualquer coisinha errada, e tudo vira uma verdadeira maçaroca-poché.
Com a técnica abaixo descrita, seu ovo poché ficará pronto em instantes e sairá perfeito!

Ingredientes:
- 1 ovo gelado preferencialmente extra-grande
- 200 ml de água fervente
- sal a gosto
- orégano a gosto

Modo de preparo:
- Coloque a água fervente numa cumbuca pequena ou caneca que possa ir ao microondas, sem enchê-la - leve em consideração que você ainda vai ter que colocar o ovo e 2 dedos de água acima dele, são suficientes. Eu utilizei um owan japonês de cerâmica, como este da foto:


- Quebre o ovo dentro da cumbuca, cuidadosamente, para que a gema não se parta. Se preferir, quebre o ovo primeiro dentro de outra cumbuca e então, transfira para a cumbuca com a água fervente.
- Rápidamente, cubra a cumbuca com filme plástico e faça 3 furos com a ponta de uma faca ou outro utensílio pontiagudo - são furos pequenos, apenas para garantir a saída de vapor e proteger o microondas no caso da gema estourar - sim, essa possibilidade existe, pois cada aparelho tem um desempenho diferente.
- Coloque a cumbuca no microondas e ligue na potência máxima, por 30 segundos. Tudo vai depender do tipo de recipiente utilizado, do tamanho do ovo e do tipo de microondas - repito, já que cada um tem um desempenho diferente.
- Ao final do tempo, verifique como está seu ovo. Se a clara estiver cozida, ele estará pronto e deve ser retirado rápidamente com uma colher grande ou escumadeira, para interromper o processo de escalfamento, eliminando o excesso de água. Se não, mantenha-o na água até a clara ficar cozida, fora do microondas, checando sempre para a gema não ficar cozida. Você percebe isso fácilmente, já que ela começa a ficar esbranquiçada. Da mesma forma, atingido o ponto, retire o ovo poche rápidamente com uma colher grande ou escumadeira, para interromper o processo de escalfamento, eliminando o excesso de água. Se preferir, deixe escorrendo sobre uma toalha de papel.
- Coloque num prato ou sobre o alimento que preferir e polvilhe tempêros a gosto. Eu coloquei sobre uma fatia de pão de forma com sementes de chia e polvilhei sal, pimenta do reino e orégano.

Pode ser que as primeiras tentativas não dêem certo e a gema pode ficar cozida!
Não desanime! Uma vez que você conseguir definir o tempo certo para o seu microondas, os próximos serão muito simples de serem preparados!

29 novembro 2016

Salada de sardinha fresca, legumes e ovos



Esta saladinha toda colorida, é uma ótima opção para um sanduba super saudável e bem rápida de ser preparada!


Não vou especificar quantidades, pois isso realmente não importa. Fica a critério de cada um.
Ela aguenta bem vários dias na geladeira!

Ingredientes (a gosto):
- sardinhas frescas limpas
- ovos
- cenoura
- cebola
- pepino japonês
- pimentão verde
- salsinha
- sal
- aji-no-moto
- vinagre de maçã
- azeite de oliva extra-virgem

Modo de preparo:
- Coloque água numa panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira, aguarde ferver e coloque as sardinhas. Deixe cozinhando por 6 minutos em fogo brando. Aguarde esfriar e desmanche com as mãos. Coloque numa tigela.
- Coloque os ovos numa panelinha, cubra com água e leve ao fogo alto. Assim que ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhando por 10 minutos. Passado o tempo, escorra a água e deixe os ovos esfriarem. Descasque-os e corte em pedaços. Coloque na tigela.
- Corte a cenoura, a cebola, o pepino japonês, o pimentão verde e a salsinha em pedaços, coloque no processador e pulse várias vezes até que fiquem picados (se não possuir um processador, use um ralador de mão) e coloque tudo na tigela.
- Polvilhe o sal e o aji-no-moto e regue com o vinagre até umedecer todos os ingredientes - não coloque muito, para não ficar muito ácido com o tempo - e finalize com azeite de oliva extra-virgem a gosto.
- Misture tudo muito bem e coloque num recipiente fechado, sob refrigeração.

28 novembro 2016

Jajangmyeon com udon



O jajangmyeon é um prato coreano que tem sua origem na China e foi adaptado ao paladar coreano após a guerra da Coréia.
Há pouco mais de 20 anos, era um prato preparado apenas em ocasiões especiais. Com o crescimento da economia coreana, rápidamente se tornou um fast food, batendo a rede do McDonald’s, podendo ser rápidamente encomendado por telefone ou até mesmo comprado em pacotes instantâneos para ser preparado em questão de minutos.
O macarrão utilizado é o sutamyeon ou o kalguksu, que são vendidos frescos ou congelados. O udon japonês também pode ser utilizado, caso haja dificuldade em encontrar os anteriores.
Os demais ingedientes são o chunjang (essencial), carne (geralmente suína, tal como lombo, pernil ou barriga, mas pode ser preparado com carne bovina ou de frango), legumes, tais como: cebola, abobrinha italiana, batata, repolho, cenoura, cebolinha, nabo (três destes ingredientes são suficientes para o preparo do prato).
Variações incluem frutos do mar, tais como lulas e camarões. O peixe nunca é utilizado.
Antes de se consumido, todo o prato deve ser bem misturado, individualmente, cada um fazendo isso na própria tigela (kkkkkkk), para que o molho envolva o macarrão uniformemente e você possa se deleitar pelo molho caramelizado com seus sabores contrastantes:


Ingredientes (para 3 porções):
- 200 g de udon
- 200 g de filé mignon suíno cortado em cubos de aproximadamente 1 cm
- 3 colheres (sopa) cheias de chunjang
- 130 g de cebola cortada em cubos de aproximadamente 1 cm
- 130 g de abobrinha italiana cortada em cubos de aproximadamente 1 cm
- 130 g de cenoura cortada em cubos de aproximadamente 1 cm
- 300 ml de água fria
- 30 g de cebolinha cortada em pedaços de aproximadamente 1 cm
- 80 g de pepino japonês cortado em palitos finíssimos de aproximadamente 5 cm
- 300 ml água fria
- 10 g de hondashi
- 1 colher (sobremesa) cheia de amido de milho
- 1 sachê de adoçante
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Coloque a água numa panelinha e leve ao fogo alto. Assim que ferver, acrescente o hondashi. Deixe esfriar completamente. 
- Cozinhe o udon em água fervente até ficar al dente. Escorra e reserve.
- Enquanto isso, prepare o restante dos ingredientes. Coloque 2 fios de óleo de canola numa wok e leve ao fogo alto. Assim que esquentar, coloque a carne de porco e deixe fritando até ficar dourada e crocante.
- Na sequência, acrescente a cebola, a abobrinha e a cenoura e deixe fritando até ficarem douradas e crocantes.
- Abra um espaço no centro da wok, empurrando os ingredientes para as laterais. Coloque nesse espaço o chunjang e deixe-o fritando por 1 minuto, sem parar de mexer (sómente no local onde está o chunjang).
- Passado o tempo, acrescente 200 ml do caldo preparado anteriormente. Tampe a wok e deixe cozinhando até os legumes ficarem cozidos, quando o caldo estará reduzido.
- Ao restante do caldo, acrescente o amido de milho e o adoçante. Misture bem e verta sobre a wok e acrescente a cebolinha. Deixe cozinhando até engrossar o caldo.
- Coloque o udon numa tigela e regue com o molho.
- Regue com óleo de gergelim a gosto e guarneça com os palitos de pepino. Sirva em seguida.

23 novembro 2016

Chunjang



É uma pasta coreana fermentada de soja preta torrada, salgada, levemente adocicada e colorida com caramelo. É o ingrediente essencial no preparo do Jajangmyeon, um prato originário da China.
É vendido também em pó, para ser dissolvido em água, no entanto, o sabor não é tão intenso quanto o da pasta.
Foi criada após a guerra da Coréia, adicionando-se caramelo para dar-lhe um sabor mais doce, o que fez com que o Jajangmyeon se tornasse completamente diferente do chinês.

Myeolchi aekjeot



É o molho de anchôva (myeolchi) fermentada, salgado, levemente adocicado e riquíssimo em umami, ingrediente essencial no preparo de vários pratos coreanos. Em resumo, as anchôvas e o sal são dispostos em caixas de madeira para fermentar e são lentamente pressionados, extraindo-se assim o líquido.
Existem também outras variedades de aekjeot, fabricado com outros tipos de frutos do mar, como por exemplo, enguias fermentadas e camarões fermentados.
Ao ser utilizado como ingrediente no preparo do kimchi, além de realçar o umami, ele acelera o processo de fermentação, pois ele é um agente fermentador ativo - um produto moderno, que substitui a antiga e trabalhosa manipulação das anchôva cruas, reduzindo o tempo na cozinha.

Lamen básico com mak-kimchi

Depois de um dia extenuante, utilizei minha irrisória energia remanescente para preparar um belo de um prato no maior estilo coreano, digno de mim mesmo!!!! Kkkkkkkk
Preparei um ovo poché sobre o macarrão, em seu próprio caldo enquanto ele cozinhava, que, diga-se de passagem, é a maneira mais fácil de fazer ovo poché! Depois de pronto, salpiquei cebolinha picada e mandei ver, tudo goela abaixo, com uma porçãozinha de mak-kimchi!
Diliça!

14 novembro 2016

Hamburgers de frango, linhaça e batata doce



Ontem estava organizando os ingredientes da minha despensa e ví que havia um pouco de sementes de linhaça. Resolví então, preparar para hoje, estes hamburgers saudáveis.
As sementes de linhaça não devem ser consumidas inteiras pois são muito duras, isto é, difíceis de serem digeridas, o que resultaria numa não-absorção de seus nutrientes. Elas devem ser moídas na hora. Também, nunca utilize as sementes pré-moídas, pois elas oxidam com o tempo. Quanto ao tipo, fica a critério de cada um, estudos demonstram que não existe diferença significativa na atividade antioxidante e quantidade de nutrientes entre elas.
Os hamburgers ficaram muito macios e leves, porém, queimam com uma certa facilidade, então, o contrôle da chama do fogão e a atenção na hora de fritá-los, são primordiais!

Ingredientes:
- 250 g de filé de frango
- 50 g de sementes de linhaça
- 50 ml de água fria
- 200 g de batata doce
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- cebolinha a gosto
- 50 ml de água fria
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Deixe as sementes de linhaça de molho na água fria, sob refrigeração, na noite anterior ao preparo do prato.
- Corte a cebolinha em palitos finíssimos. Divida em 3 porções e reserve.
- Descasque a batata doce e cozinhe em fogo brando, por 10 minutos. Escorra e reserve.
- Bata as sementes juntamente com a água que ficou de molho, no liquidificador. Se for necessário, acrescente mais água, o mínimo possível.
- Coloque no processador, o filé de frango, a batata doce, as sementes de linhaça, o sal e o aji-no-moto e triture até virar uma massa homogênea. Divida em 3 porções.
- Coloque 2 fios de óloe de canola numa frigideira anti-aderente e leve ao fogo alto. Assim que esquentar, abaixe o fogo.
- Com as mãos úmidas, molde rápidamente cada porção da massa em forma de hamburger e coloque uma porção de cebolinha em uma das superfícies. Coloque na frigideira, com a superfície onde está a cebolinha, para cima. Repita o processo com as outras 2 porções.
- Passados 3 minutos, coloque a água fria na frigideira, pelas laterais e tampe.
- Quando dourar a parte inferior, cuidadosamente, vire os hamburgers.
- Estando sempre atento para não queimar, assim que dourar a outra superfície, retire do fogo e sirva.

Tamago toji



O tamago toji não chega a ser um prato, seria um pseudo-prato oriundo de outro. Mais comumente preparado ao final do sukiyaki, quando sobram o caldo e alguns poucos ingredientes (às vezes sómente o caldo), batemos alguns ovos e colocamos para cozinhar junto com esse caldo.
Simplesmente fantástico!!!!!!!!!!!!
Claro, tem como preparar o tamago toji quando não há sukiyaki! É por isso que coloquei este post, visando simular o caldo remanescente do sukiyaki. O tamago toji preparado sem o sukiyaki, não é tão rico no sabor, já que no caldo remanescente do sukiyaki estão os sabores das carnes e de todos os demais ingredientes que foram cozidos juntos, mas isto são significa que o sabor deixará de ser rico, ele apenas não é tão rico quanto!
Preparei esta delícia numa tigela de barro, para que ele permanecesse aquecido por mais tempo, mas pode ser preparado na panela também.

Ingredientes:
- 3 ovos extra grandes
- 1 colher (sopa) rasa de manteiga sem sal
- 250 ml de água fria
- 10 g de hondashi
- 4 colheres (sopa) de molho de soja
- 4 colheres (sopa) de sake culinário
- 1 sachê de adoçante
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- cebolinha a gosto para guarnecer

Modo de preparo:
- Corte a cebolinha em palitos finíssimos. Reserve.
- Coloque a manteiga na tigela de barro e leve ao fogo alto. Assim que derreter, coloque o adoçante, o sake e o molho de soja. Assim que ferver, coloque a água fria. Assim que ferver, coloque o hondashi e o aji—no-moto. Abaixe o fogo.
- Quebre os ovos numa tigela e bata ligeiramente. Entorne sobre a tigela de barro e salpique a cebolinha.
- Tampe a tigela e deixe cozinhando por 4 minutos em fogo baixo, até que os ovos fiquem ligeiramente cozidos. É importante ficar atento para que os ovos não cozinhem demais, para não ficarem secos e duros.
- Passado o tempo, desligue o fogo e sirva quente.

12 novembro 2016

Katsuobushi



É o peixe bonito seco e fermentado, riquíssimo em umami.
Primeiramente, o peixe tem a cabeça decepada. Depois, ele é eviscerado, tem a espinha central extraída e então, ele é filetado.
São cozidos em água quente e depois de frios, tem as espinhas extraídas.
O processo seguinte é o da defumação, que pode levar mais de um mês, pois nesta etapa eles são defumados e deixados em repouso, para no dia seguinte, repetir o processo novamente, processo esse que pode durar várias sessões, dependendo do tamanho do peixe, até o filé ficar totalmente desidratado. Ao final deste processo ele é chamado de arabushi ou satsumabushi e já é comercializado raspado, por um preço menos dispendioso. Apesar de não terem atingido o estágio de katsuobushi, são valorizados como bons substitutos.
O estágio final é a secagem ao sol. Depois disso, são pulverizados com um fungo e deixados em repouso em local fechado e úmido durante algumas semanas, para fermentação. O mofo superficial é raspado e depois são secos ao sol novamente. Como no processo anterior, este é repetido diversas vezes, aumentando a sua dureza e desidratação, quando o peixe atinge menos de 20% do seu peso original. Quando o processo é repetido por pelo menos duas vezes, ele passa a se chamar karebushi. Quando repetido por mais de três vezes, é chamado de honkarebushi: quando batidos, tem um som metálico com uma aparência externa bege nada atraente, mas com uma profunda cor rubi internamente:


O processo todo leva cêrca de meio ano. Produtos de altíssima qualidade podem levar mais de dois anos.
Depois de ralado em lascas finíssimas, é utilizado no preparo do dashi ou como cobertura em diversos pratos.

Dashi



É um caldo base muito utilizado na culinária japonêsa, riquíssimo em umami. Pode ser extraído de carnes, carcaças, frutos do mar, hortaliças, cogumelos, sendo o mais comum, um caldo coado a base de água, konbu e katsuobushi.
Por ser caro e trabalhoso, existem no mercado, produtos industrializados que substituem o dashi. Eles são desidratados e instantâneos, bastando adiconá-los ao líquido fervente.