29 dezembro 2012

Kasuzuke de pepino


Kasuzuke é um tipo de conserva ou tsukemono, em japonês, curtida no sake kasu.
Pertence ao tipo Narazuke, por ter sido criado no período Nara, na região de Kansai, há mais de 1200 anos atrás.
Simplíssimo de ser feito porém, exige alguns dias de espera a fim de que o legume fique suficientemente curtido, mas a vale a pena: além de crocante, é extremamente saboroso!

Ingredientes:
- 1 Kg de pepino japonês
- 1 colher (sopa) cheia de sal
- 500g de sake kasu

Modo de preparo:
- Corte cada pepino em 3 pedaços. Coloque-os no tsukemonoki, polvilhe o sal, misture bem e deixe-os prensados por 1 dia. Caso não possua um tsukemonoki, coloque os pepinos numa bacia, cubra-os com um prato e coloque um peso por cima de tudo. Despreze todo o líquido liberado pelo pepino.
- Se o sake kasu estiver muito sólido, coloque-o no liquidificador, acrescente um pouco de água e bata por alguns segundos para que ele amoleça. A consistência deve ficar firme o suficiente para envolver os pedaços de pepino, portanto não exagere na água.
- Coloque o sake kasu num recipiente que possua tampa. Acrescente os pedaços de pepino misturando bem para que a pasta envolva todos os pedaços. Então esqueça-os: deixe-os sob refrigeração por no mínimo 5 dias.
- Passado o tempo, pegue os pedaços de pepino que for consumir, retirando o excesso de sake kasu com uma espátula. Se preferir um sabor menos intenso, retire totalmente o excesso da pasta com um papel toalha. Fatie-os e sirva.

Há também quem acrescente açúcar à pasta. Eu preferí não fazê-lo, já que o sake kasu já possui naturalmente um leve sabor adocicado.
Quando acabarem os pepinos, a pasta que sobrou no recipiente pode e deve ser reutilizada para novas conservas, bastando deixá-la sob refrigeração para que não fermente.

26 dezembro 2012

Escondidinho de kabocha e pacu


Essa invenção surgiu a partir das das sobras do pacu assado e mais um pedaço de kabocha que estava dando bandeira na geladeira.
Ficou muuuuuito delicioso! E muuuuito leve também!
Como utilizei as sobras do pacu, não deu trabalho nenhum, portanto se você não tiver pacu, a menos que queira prepará-lo especialmente para esta receita, poderá utilizar sobras de outras carnes também.

Ingredientes:
- 700 g de pacu
- 1 Kg de abóbora kabocha
- 1 colher (sopa) cheia de manteiga sem sal em temperatura ambiente
- 1 colher (sopa) rasa de alho picado
- 1 xícara (chá) cheia de cebolinha finamente picada
- 300 g de mozzarella ralada
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Prepare o pacu conforme postado aquí. Desfie o peixe com as próprias mãos, descartando os ossos e reserve. Se quiser utilizar a pele, corte-a bem picadinha.
- Corte o kabocha em pedaços pequenos, com a casca. Reserve.
- Coloque água numa panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira, aguarde ferver e coloque a abóbora kabocha. Deixe cozinhando por 15 minutos, em fogo brando.
- Com o auxílio de uma escumadeira retire os pedaços de kabocha e transfira-os para uma bacia. Amasse tudo com o amassador de batatas, até que vire um purê. Tempere com sal e aji-no-moto e acrescente a manteiga misturando tudo muito bem.
- Coloque um fio de óleo de canola numa frigideira pequena e leve ao fogo. Assim que esquentar, coloque o alho picado. Assim que dourar, acrescente ao purê juntamente com a cebolinha picada. Misture tudo muito bem.
- Pegue uma assadeira de aproximadamente 18 x 28 cm e coloque as seguintes camadas: metade do purê, o pacu desfiado, 3/4 da mozzarella, a outra metade do purê e finalize com 1/4 da mozzarella.
- Leve ao forno alto por 20 minutos para gratinar.

24 dezembro 2012

Pacu assado com ervas finas



O pacu em língua indígena significa “porco dos rios”, pois come quase tudo o que encontra. É um dos meus peixes favoritos, não só pelo sabor peculiar como também pela saborosa gordura que ele oferece. Apesar de ser considerado um peixe gordo, a gordura está associada ao combate do colesterol ruim e à prevenção do mal de Alzheimer, além de ser fonte de ômega 3.
O prato que preparei hoje é muito simples de ser feito mas é preciso tomar uma providência ao comprar o peixe: peça ao peixeiro para cortar o pacu ao meio, sem as vísceras, como se fosse dividí-lo em 2 filés, porém, com a cabeça e os ossos. O rabo pode ser descartado opcionalmente.
Comprei uma peça de 2.5 Kg, mas fica a critério comprar maior ou menor, dependendo da quantidade de pessoas. Já ví pacu de até 10 quilos e já ouví de alguns que existem acima de 30 quilos!!!!!!!!! Conversa de pescador????????
Preparado de uma forma tão simples, o resultado é surpreendente!

Ingredientes:
- 1 peça de pacu fresco cortado longitudinalmente ao meio
- sal a gosto
- aji-no-moto a gosto
- ervas finas desidratadas a gosto
- pimenta calabresa desidratada a gosto
- azeite de oliva

Modo de preparo:
- Unte uma ou duas assadeiras, que comportem o peixe, com azeite de oliva.
- Coloque os dois pedaços do peixe, com a pele voltada para baixo.
- Polvilhe sal, aji-no-moto, ervas finas desidratadas e pimenta calabresa desidratada a gosto.
- Deixe refrigerando por 1 hora, para que os temperos penetrem no peixe.
- Regue um pouco de azeite de oliva sobre o peixe e leve ao forno médio por 50 minutos ou até que fique dourado. Dependendo do tamanho do peixe, o tempo pode ser maior ou menor.
- Assim que retirar do forno, com o auxílio de uma espátula desgrude o peixe da assadeira ainda quente.

19 dezembro 2012

Salada de frutas do jeito que eu gosto



Bem gelada e com muita aveia!
Melão amarelo, uva Brasil, banana nanica, manga Bourbon e pêssego nacional - tudo em pedaços e com muita aveia em flocos. Deixe marinar na geladeira, de preferência de um dia para o outro: a aveia irá se encorporar ao caldo formado e ficará ainda mais saborosa!

17 dezembro 2012

Sobá frio com tomates ralados


Um prato mediterrâneo típico, os tomates ralados, resultam em algo saborosamente inacreditável pela sua simplicidade e facilidade de preparo! Não deixem de provar!

Ingredientes:
- 200 g de sobá
- 500 g de tomates longa vida
- azeite de oliva extra-virgem
- 1 colher (sobremesa) rasa de alho picado
- 1 colher (café) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- 1 colher (sobremesa) rasa de manjericão desidratado

Modo de preparo:
- Cozinhe o sobá em água abundante até que fique al dente. Esfrie o macarrão sob a torneira da pia,  escorra bem, transfira para uma travessa e regue com um pouco de azeite de oliva extra-virgem. Misture e coloque para refrigerar.
- Corte os tomates ao meio e rale no ralo grosso. Depois de ralados restarão sómente as peles, que serão descartadas. Tempere com azeite de oliva extra-virgem a gosto, alho picado, sal, aji-no-moto e manjericão desidratado. Misture tudo e regue sobre o soba gelado.

O tomate ralado fica muito gostoso também com fatias de pão integral grelhadas.

Croquetes de kabocha e toofu recheados com salmão

Você nunca mais será o mesmo depois de provar estes croquetes!
São simplesmente fantásticos!
Se for numa refeição, não é necessário nada mais que um arroz branco quentinho, preferencilamente japonês!


O kabocha foi cozido no vapor para evitar que ele ficasse aguado, o que dificultaria a modelagem dos croquetes.
Renderam 20 unidades grandes!

Ingredientes:
- 750 g de abóbora kabocha
- 150 g de toofu
- 300 g de filé de salmão
- 1 xícara (chá) de salsinha finamente picada
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- farinha de trigo
- clara de 1 ovo grande batida com um pouco de água
- óleo de soja

Modo de preparo:
- Deixe o toofu escorrendo sobre uma peneira.
- Corte o kabocha em pedaços pequenos, com a casca. Reserve.
- Coloque água numa panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira, aguarde ferver e coloque a abóbora kabocha. Deixe cozinhando por 15 minutos, em fogo brando.
- Com o auxílio de uma escumadeira retire os pedaços de kabocha e transfira-os para uma bacia. Acrescente o toofu e amasse tudo com o amassador de batatas, até que vire um purê. Tempere com sal e aji-no-moto e aguarde esfriar, então acrescente a salsinha picada misturando tudo muito bem. Melhor se puder deixar sob refrigeração, para que a massa adquira mais consistência.
- Enquanto isso, pique o filé de salmão em pedacinhos pequenos, batendo com a faca. Reserve.
- Abra uma pequena porção da massa nas mãos, acrescente o recheio de salmão batido e feche dando o formato de um croquete.
- Passe na farinha de trigo, depois na clara de ovo batida com água e por fim, no panko.
- Frite por imersão no óleo de soja até que fique dourado.
- Escorra e sirva.

14 dezembro 2012

Pão de forma 50% integral com flocos de amaranto


O amaranto é um alimento originário dos Andes, altamente nutritivo e um excelente redutor dos níveis de colesterol ruim. Com mais ferro do que qualquer outro cereal, o amaranto também é fonte de lisina, um aminoácido que falta na maioria dos grãos, vital para o crescimento e manutenção dos músculos e órgãos e muito importante na absorção de cálcio e formação de colágeno.
O amaranto é naturalmente rico em proteínas de alto valor biológico, o que não é comum em vegetais, fonte de fibras, zinco, fósforo e cálcio biodisponível (pronto para ser assimilado pelo organismo), outro fato incomum nos vegetais. 
Com tantos benefícios, vamos logo colocar mãos à obra?

Ingredientes da esponja:
- 50 g de farinha de trigo
- 10 g de fermento biológico seco
- 1 colher (sopa) rasa de adoçante culinário
- 50 ml de água morna

Ingredientes da massa:
- 150 g de farinha de trigo
- 125 g de farinha de trigo integral
- 75 g de amaranto em flocos
- 1 colher (café) rasa de sal 
- 200 ml de água morna
- 4 colheres (sobremesa) de óleo de canola

Modo de preparo:
- Primeiro prepare uma esponja. Ela irá ajudar a aumentar a elasticidade da massa, além de permitir uma casca mais crocante depois de assado o pão. Misture a farinha de trigo, o fermento biológico seco, o adoçante culinário e a água morna. Deixe fermentando em local protegido de correntes de ar, coberto com um pano, até dobrar de volume. Eu deixei dentro de uma caixa térmica por 45 minutos.
- Forre uma forma para pão de aproximadamente 8 x 22 cm, com papel manteiga e reserve.
- Numa vasilha, misture bem todos os ingredientes secos. 
- Acrescente o óleo de canola e misture bem. Coloque a esponja no centro.
- A quantidade de água morna irá variar conforme a farinha utilizada, portanto, acrescente-a aos poucos, sovando até que a massa fique homogênea, úmida e grudando nas mãos. Cubra a vasilha com um pano e deixe fermentando em local protegido de correntes de ar. Eu deixei dentro de uma caixa térmica por 2:30 hs.
- Passado o tempo, sove a massa novamente e transfira-a uniformemente acomodada na forma para pão coberta com um pano e deixe fermentando em local protegido de correntes de ar. Eu deixei dentro da caixa térmica por mais uma hora.
- Passado o tempo, leve ao forno alto pré-aquecido, por 30 minutos.
- Retire do forno e desgrude cuidadosamente o papel manteiga. Aguarde o pão esfriar totalmente antes de fatiá-lo.

Este pão muito macio e cheiroso, com uma casquinha crocante por fora, vai bem com tudo!

11 dezembro 2012

Cuidado noturno para os lábios - ChapStick


Chegou meu ChapStick Overnight Lip Treatment!!!!!!!
Meu Ceralip está acabando e como me falaram muito bem deste produto, inclusive dizendo que é melhor que o Ceralip: resolví adquirí-lo!
Logo de cara já achei interessante o fato dele ser composto de 8 hidratantes diferentes direcionado para o tratamento noturno, ou seja, não preciso ficar lambuzando a boca durante o dia! Kkkkkkk……..
Apesar de ter uma consistência muito fina, para minha surprêsa, ele se manteve por mais tempo! Quando acordo, ainda sinto o creme em meus lábios, o que não acontece com o Ceralip..... bem, tudo pode ser uma questão de posição no travesseiro mas.....
Em segundo lugar, ele é bem mais barato que o Ceralip!
O único incômodo: não é vendido no Brasil - precisa ser importado dos Estados Unidos. Pelo menos o Overnight Lip Treatment. Os outros 20 tipos existentes, com sabores, fórmulas e benefícios diversos, em sua grande maioria na forma de stick, são mais fáceis de serem encontrados no Brasil. Só que aí o incômodo passa a ser outro: o abuso de preços!
A oportunidade surgiu em tempo e compreí 3 bisnaguinhas de uma vez!

Já vou deixando claro que não estou aquí para falar mal do Ceralip: é um creme excelente que desde o primeiro uso não deixou nada a desejar e eu adoro!

10 dezembro 2012

Batatas suecas

Também conhecidas como hasselback potatoes, este prato é originário de Estocolmo, capital da Suécia.
Muito fácil de serem preparadas, ficam com um visual lindíssimo e são super saborosas, crocantes por fora e macias por dentro:


Ingredientes:
- batatas
- azeite de oliva
- alecrim desidratado
- sal
- aji-no-moto

Modo de preparo:
- Lave bem as batatas com a casca.
- Coloque numa panela, cubra com água e cozinhe em fogo brando por 5 minutos. Escorra e aguarde esfriar um pouco.
- Coloque uma batata sobre uma colher grande (de arroz) ou colher de pau e corte em fatias bem finas. A colher servirá de freio,  de forma que o corte não vá até o final e as fatias fiquem todas unidas na base.
- Unte um refratário com azeite de oliva e disponha as batatas com o lado cortado para cima.
- Misture o azeite de oliva com o alecrim desidratado. Com o auxílio de um pincel culinário, besunte as batatas.
- Polvilhe sal e aji-no-moto e leve ao forno médio por 50 minutos.

Feijão branco com chuchu e almeirão



Mais uma variação de preparo do feijão branco, além de dar uma cor muito saborosa!
Experimentem!

Ingredientes:
- 150 g de feijão branco
- 400 g de chuchu
- 60 g de almeirão grosseiramente picado
- 1 colher (sobremesa) rasa de alho picado
- 1 colher (sobremesa) rasa de coentro desidratado
- 1 colher (café) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- 1 colher (café) rasa de hondashi
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Deixe o feijão de molho em água fria por 8 horas. Escorra, coloque na panela de pressão, cubra com 2 dedos de água acima do nível dos grãos e cozinhe por 10 minutos, na pressão, em fogo brando.
- Descasque o chuchu e corte em pedaços pequenos. Reserve.
- Cozido o feijão, abra a panela e acrescente os pedaços de chuchu e o coentro desidratado. Tempere com sal, aji-no-moto e hondashi. Com a panela destampada, leve novamente ao fogo brando.
- Coloque um fio de óleo de canola numa frigideira pequena, leve ao fogo e acrescente o alho picado. Assim que ele dourar, acrescente uma concha do caldo do feijão cozido. Deixe dar uma refogadinha e volte tudo para a panela do feijão. Mantenha no fogo até que o chuchu cozinhe e o caldo engrosse.
- Acrescente o almeirão picado e sirva.

01 dezembro 2012

Pão de forma simples 50% integral



O pão compacto e denso que eu preparei há duas semanas me deixou meio que noiado. Pesquisei vários assuntos sobre pães integrais e confesso que minha cabeça acabou virando um emaranhado de informações que eu achei que ia ficar louco! Fora as fotos que ví de pães integrais perfeitos, grandes (crescidos) e aparentemente fofinhos por dentro!
Nunca fui um expert em pães, acho que nunca serei - a não ser que eu faça um curso decente sobre - então, só me cabe fazer testes até chegar a uma receita plausível!
Desta vez coloquei apenas 50% de farinha integral. Logo de cara já percebí que a massa cresceu bem mais!
Depois de pronto outra surpresa: ficou mais macio também!

Ingredientes:
- 150 g de farinha de trigo
- 150 g de farinha de trigo integral
- 6 g de fermento biológico seco
- 6 g de fermento químico em pó
- 1 colher (sopa) rasa de adoçante culinário
- 1 colher (café) rasa de sal 
- 250 ml de água morna
- 3 colheres (sobremesa) de óleo de canola

Modo de preparo:
- Forre uma forma para pão de aproximadamente 8 x 22 cm, com papel manteiga e reserve.
- Misture bem todos os ingredientes secos. 
- Acrescente o óleo de canola e misture bem.
- A quantidade de água morna irá variar conforme a farinha utilizada, portanto, acrescente-a aos poucos, sovando até que a massa fique homogênea, úmida e grudando nas mãos. 
- Acomode a massa na forma para pão e deixe fermentando em local protegido de correntes de ar, coberto com um pano. Eu deixei dentro de uma caixa térmica por 2:30 hs.
- Passado o tempo, leve ao forno alto pré-aquecido, por 30 minutos.
- Retire do forno e desgrude cuidadosamente o papel manteiga. Aguarde o pão esfriar totalmente antes de fatiá-lo.

Por hora minha conclusão é a seguinte: para um mero humano que não possui nem o dom da produção e nem especialidade em pães, é impossível produzir um pão 100% integral! Kkkkkkkk……..

26 novembro 2012

Caldo de kabocha com ovo poché



Este caldo, extremamente simples de ser preparado, fica muito, mas muito delicioso!
Vez ou outra, a colher chegava até o ovo poché, a gema se desmanchando no prato....... hmmmm...... vocês tem noção?

Ingredientes:
- abóbora kabocha
- alho picado
- sal
- aji-no-moto
- óleo de canola
- salsinha finamente picada

Modo de preparo:
- Corte a abóbora kabocha com a casca, em pedaços pequenos. Coloque numa panela, cubra com água e deixe cozinhar por 20 minutos em fogo brando.
- Passado o tempo, deixe esfriar um pouco e bata no liquidificador até que se transforme em purê. Se ficar muito grosso, acrescente mais água até que fique na consistência desejada.
- Coloque um fio de óleo de canola numa caçarola, acrescente o alho picado e leve ao fogo. Assim que dourar, acrescente o kabocha batido e tempere com sal, aji-no-moto e hondashi. Se necessário esquente um pouco mais.
- Coloque no prato, polvilhe a salsinha picada e no centro coloque o ovo poché cuidadosamente partido ao meio.

Medalhões de berinjela grelhados e cobertos com molho Sichuan



Berinjela para mim é um ingrediente que ou você prepara bem, ou você acaba com o prato!
Também um legume de baixo custo que pode se transformar em pratos bem requintados.
O que eu preparei hoje não tem nada de requintado, mas sim, uma profusão de sabores que fez com que eu recebesse elogios até de quem não gosta de berinjelas!

Ingredientes:
- 400 g de berinjelas médias
- 1 colher (sobremesa) rasa de alho picado
- 1/2 xícara (chá) de cebolinha finamente picada
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Corte as berinjelas com a casca, em rodelas de aproximadamente 3 cm. Faça um corte superficial em forma de cruz em apenas uma das faces de cada rodela.
- Sobre um pedaço de papel alumínio cuja área seja um pouco maior que o tamanho da grelha, disponha as rodelas de berinjela, com o corte em forma de cruz virado para baixo.. Cubra com outro pedaço de papel alumínio, dobrando bem as extremidades, formando assim, um pacote. Coloque sobre a grelha e leve ao fogo brando por 15 minutos.
- Passado o tempo, vire a grelha e deixe por mais 15 minutos.
- Passado o tempo, abra o pacote de papel alumínio cuidadosamente para não se queimar com o vapor quente. Coloque cada rodela de berinjela sobre a travessa, com o corte em forma de cruz virado para cima, cuidadosamente, pois estarão bem macias.
- Verta o molho Sichuan sobre as rodelas de berinjela.
- Polvilhe a cebolinha picada.
- Coloque um fio de óleo de canola numa frigideira pequena e leve ao fogo. Assim que esquentar, coloque o alho picado. Assim que dourar, verta sobre as rodelas de berinjela.
- Polvilhe as sementes de gergelim brancas.
- Finalize com um fio de óleo de gergelim.

Músculo com acelga e gobo



Neste prato que preparei hoje, o músculo fica deliciosamente tenro e levemente apimentado!
Muito fácil de preparar, consumí com arroz integral cozido apenas com água.

Ingredientes:
- 600 g de músculo em pedaços
- 700 ml de água fria
- 200 g de acelga
- 200 g de gobo
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- 1 colher (chá) rasa de pimenta calabresa desidratada
- 1 colher (chá) rasa de alecrim desidratado
- 1 xícara (chá) de salsinha finamente picada
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Corte a acelga em tiras finas de aproximadamente 7 cm de comprimento, no sentido das fibras  e reserve.
- Descasque o gobo e com o auxílio de um descascador de legumes, tire fatias finíssimas. Corte em tiras de aproximadamente 7 cm de comprimento e reserve.
- Coloque o músculo e a água fria na panela de pressão e cozinhe, na pressão, por 50 minutos, em fogo brando.
- Passado o tempo, com o auxílio de uma escumadeira, retire os pedaços de carne cozidos e reserve o caldo na panela.
- Com as mãos, desmanche grosseiramente os pedaços de carne e reserve.
- Coloque um fio de óleo de canola numa wok e acrescente o gobo. Dê uma salteada e acrescente a acelga e a carne.
- Tempere com sal e aji-no-moto, acrescente a pimenta calabresa, o alecrim e o caldo remanescente do cozimento da carne. Abaixe o fogo e deixe até apurar todo o caldo.
- Polvilhe a salsinha picada e sirva.

Ovo poché


Esta técnica é utilizada para preparar uma das formas mais saudáveis de se consumir ovos.
A clara fica bem firme, enquanto a gema permanece bem mole:


Não é uma técnica fácil: requer treinamento, portanto, se seus primeiros ovos não ficarem tão bons, não desanime!

Ingredientes:
- ovos
- 1 colher (sopa) de vinagre branco
- água fria

Modo de preparo:
- Quebre o ovo numa xícara e reserve.
- Coloque 3 dedos de água fria numa panela pequena, acrescente o vinagre (que ajudará a clara a coagular-se mais rápidamente) e leve ao fogo. Assim que ferver, apague o fogo - se água estiver em ebulição, a clara irá se espalhar por toda a panela.
- Com muito cuidado, verta o ovo sobre a água, o mais próximo possível dela.
- Aguarde até que a clara fique firme. Isso pode levar de 3 a 5 minutos, dependendo do ovo e da sua temperatura.
- Cuidadosamente, com uma escumadeira, retire o ovo e deixe escorrer sobre uma toalha de papel. Se preferir, apare as extremidades para que o ovo fique com uma aparência melhor.

O mais legal em preparar ovos poché, é sem dúvida, partí-los no prato para que a gema escorra para fora! Rsrsrsrsrsrs.........


19 novembro 2012

Karaage de frango a passarinho


Karaage é o nome genérico de um prato japonês, geralmente carnes ou frutos do mar, fritos por imersão em óleo, com uma casquinha crocante por fora e interior suculento.
Geralmente são utilizados filés em tamanhos pequenos, que caibam na boca de uma só vez, porém, hoje, preparei com frango a passarinho, com osso!
Também muitos utilizam ovos em seu preparo - hoje não os utilizei. Por conta disso, diminuí a quantidade de farinhas, consequentemente, a casquinha externa ficou bem mais fina.
Para garantir maior crocância, ele é frito duas vezes, sendo assim, grande parte do prato pode ser preparado com antecedência. Se quiser fazê-lo, frite-o uma vez e deixe para fritar novamente quando for servir.

Ingredientes:
 - 700 g de frango a passarinho
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- 1 colher (sobremesa) rasa de gengibre ralado
- 1 colher (sobremesa) rasa de alho picado
- 1 colher (sobremesa) rasa de pimenta calabresa desidratada
- 5 colheres (sopa) de molho de soja
- 2 colheres (sopa) de sake culinário
- 1 colher (sopa) de óleo de gergelim
- 1/2 xícara (chá) de cebolinha finamente picada
- 1 colher (sopa) cheia de farinha de trigo integral
- 1 colher (sopa) cheia de farinha de trigo
- 1 colher (sobremesa) cheia de amido de milho
- óleo de soja

Modo de preparo:
- Coloque o frango numa tigela juntamente com o aji-no-moto, o gengibre ralado, o alho picado, a pimenta calabresa desidratada, o molho de soja, o sake culinário, o óleo de gergelim e a cebolinha picada. Misture tudo muito bem, cubra com filme plástico e deixe marinando, na geladeira, por 30 minutos.
- Passado o tempo, acrescente as farinhas e o amido de milho. Misture tudo muito bem.
- Coloque o óleo de soja numa frigideira para fritura por imersão e leve ao fogo alto. Assim que esquentar, abaixe o fogo e coloque os pedaços de frango. Dependendo do tamanho da frigideira, frite em partes.
- Assim que dourarem, retire os pedaços e deixe escorrendo.
- Momentos antes de servir, esquente novamente o óleo em fogo alto e frite os pedaços pela segunda vez, deixando em torno de 1 minuto, apenas para dar crocância. Escorra bem e sirva.

14 novembro 2012

Pão de forma simples 65% integral


Meus pães integrais acabaram, não comprei mais, amanhã é feriado, não sei se os supermercados abrem e eu vou ficar sem pão?????????
Não tive outra alternativa: prepará-los eu mesmo!
Por precaução, sempre tenho farinha de trigo integral em estoque!
Não ficou aquela maravilha, ficou um pão compacto e denso - característica da farinha integral?
Provávelmente sim, mas, enfim, perfeito para ser degustado na larica da madrugada!  Kkkkkkkk

Ingredientes:
- 100 g de farinha de trigo
- 200 g de farinha de trigo integral
- 6 g de fermento biológico seco
- 6 g de fermento químico em pó
- 1 colher (sopa) rasa de adoçante culinário
- 1 colher (café) rasa de sal 
- 250 ml de água morna
- 3 colheres (sobremesa) de óleo de canola

Modo de preparo:
- Misture bem todos os ingredientes secos. 
- Acrescente o óleo de canola e misture bem.
- A quantidade de água morna irá variar conforme a farinha utilizada, portanto, acrescente-a aos poucos, sovando até que a massa fique homogênea, lisa e grudando nas mãos. 
- Deixe fermentando em local protegido de correntes de ar, coberto com um pano. Dependendo do clima, pode levar algumas horas. Se preferir acelerar a fermentação da massa, aqueça água a 50º C numa panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira e desligue o fogo. Coloque a grade, sobre ela um pedaço de papel manteiga e, sobre ele, a massa. Tampe a panela e deixe a massa descansar por 1:30 hs.
- Após a fermentação, sove a massa novamente, e acomode-a numa forma para pão de aproximadamente 8 x 22 cm, forrada com papel manteiga. Deixe crescer por mais 30 minutos em local protegido de correntes de ar, por exemplo, dentro de um forno.
- Passado o tempo, leve ao forno alto pré-aquecido, por 30 minutos.
- Retire do forno e desgrude cuidadosamente o papel manteiga. Aguarde o pão esfriar totalmente antes de fatiá-lo.

12 novembro 2012

Quase uma galantina de frango, recheada com cenoura, uvas passas e ovos

A idéia inicial era preparar uma galantina, mas como esse prato é coberto com uma camada de gelatina, não foi o caso!


Lembra um embutido: pode ser fatiado para comer em sandubas ou como guarnição de pratos e até mesmo como petisco em pedacinhos!

Ingredientes:
- 350 g de filé de frango
- 40 g de fatias finíssimas de cenoura
- 20 g de uvas passas pretas sem caroço
- 2 ovos grandes cozidos
- 1 colher (sopa) rasa de alecrim desidratado
- 1 colher (sopa) rasa de pimenta calabresa desidratada
- 1 colher (sopa) cheia de queijo parmesan ralado
- 1 colher (café) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto

Modo de preparo:
- Corte as fatias de cenoura em palitos. Reserve.
- Corte os ovos em pedaços. Reserve.
- Passe o filé de frango no processador até que vire uma pasta. Transfira para uma tigela e acrescente as fatias de cenoura, as uvas passas, o alecrim, a pimenta calabresa, o queijo parmesan, o sal e o aji-no-moto. Misture tudo muito bem.
- Sobre um filme plástico de aproximadamente 30 x 30 cm distribua toda a pasta com o auxílio de uma colher, formando um retângulo de 20 x 20 cm. Sobre ele distribua os ovos em pedaços:


- Enrole cuidadosamente, como um rocambole firme. Utilizando o mesmo filme plástico, enrole-o em torno de todo o rocambole:


- Pegue mais um filme plástico de aproximadamente 40 x 30 cm e coloque o rocambole sobre ele, fazendo com que a parte mais comprida do rocambole fique no mesmo sentido da parte mais comprida do filme plástico. Enrole o filme plástico sobre o rocambole e dê um nó nas duas pontas:


- Coloque água numa caçarola, o suficiente para cobrir o rocambole. Leve ao fogo, assim que ferver, abaixe o fogo e coloque o rocambole. Deixe cozinhando por 40 minutos.
- Passado o tempo, aguarde esfriar um pouco, então, corte as pontas do filme plástico e desembrulhe o rocambole. Fatie na espessura desejada e sirva ainda quente ou refrigerado.

Por que quase uma galantina? Por que a gelatina da galantina fez falta! Achei que ficou meio seco, provávelmente por conta do filé de peito de frango, um corte que já é seco por natureza.
Para melhorar esse incoveniente, a parte que sobrou da janta, fritei com um pouco de óleo de canola, até que ficassem douradas:


Achei que ficaram bem melhores, mais molhadinhas e acentuou-se o gosto do parmesan. Em contrapartida se transformaram em fritura! Kkkkkkkkk........

Chuukaman de carne suína



Também conhecido como baozi na China, o chuukaman, assim chamado no Japão, é o pão cozido no vapor com uma variedade enorme de recheios: carne de porco, takenoko, pasta de feijão azuki, entre tantos outros.
Estes, que eu preparei, lembram uma mistura de gyouza numa massa de sfiha muito leve!
Então, imaginem vocês - em outras palavras: maravilhosamente deliciosos!

Ingredientes da massa:
- 100 g de farinha de trigo
- 2 g de fermento biológico seco
- 2 g de fermento químico em pó
- 20 g polvilho azedo
- 1 colher (sopa) rasa de adoçante culinário
- 1 pitada sal 
- 100 ml de água morna
- 1 colher (sobremesa) de óleo de canola

Ingredientes do recheio:
- 100 g de filé mignon suíno
- 1 colher (café) rasa de gengibre ralado
- 1 colher (sobremesa) rasa de alho picado
- 70 g de repolho cortado finamente 
- 1 xícara (chá) rasa de cebolinha picada
- 1 colher (café) rasa de sal
- 1 colher (café) rasa de aji-no-moto
- 4 colheres (sopa) de água
- 1 colher (café) rasa de amido de milho
- óleo de canola

Modo de preparo do recheio:
- Pique o filé mignon suíno em pedacinhos bem pequenos. Reserve.
- Coloque um fio de óleo de canola numa wok e leve ao fogo. Assim que esquentar, coloque o filé mignon suíno, o gengibre ralado e o alho picado. Assim que a carne dourar, coloque o repolho e salteie até que ele amoleça.
- Na sequência, acrescente a cebolinha picada e tempere com sal e aji-no-moto.
- Dissolva o amido de milho na água e acrescente à wok. Misture até que o caldo engrosse e desligue o fogo.
- Regue com um fio de óleo de gergelim.

Modo de preparo da massa:
- Misture bem todos os ingredientes secos. 
- Acrescente o óleo de canola e misture bem.
- A quantidade de água morna irá variar conforme a farinha utilizada, portanto, acrescente-a aos poucos, sovando até que a massa fique homogênea, bem lisa e solte fácilmente das mãos. 
- Deixe fermentando em local abafado, coberto com um pano, até que dobre de tamanho. Dependendo do clima, pode levar algumas horas. Se preferir acelerar a fermentação da massa, aqueça água a 50º C numa panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira e desligue o fogo. Coloque a grade, sobre ela um pedaço de papel manteiga e, sobre ele, a massa. Tampe a panela e deixe a massa descansar por pelo menos uma hora.
- Após a fermentação, abra a massa com um rolo, em espessura fina. Não é necessário enfarinhar a bancada.
- Com um cortador, corte círculos de massa. Eu utilizei a boca de uma tigela de 11 cm de diâmetro.
- Coloque o recheio e feche, fazendo pregas na extremidade da massa, formando como se fosse um botão de flor. No final, uma leve torcida na massa, para fechar completamente:


- Eu, como sou inexperiente em fazer os botões, fiz no formato de bolas.
- Vá colocando cada unidade sobre quadrados de papel manteiga: se fizer os botões, coloque as pregas voltadas para cima; se for no formato de bolas, o fechamento das pregas voltado para baixo. Deixe crescer por mais 30 minutos na panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira, com água aquecida a 50º C.
- Passado o tempo, acenda o fogo e coloque apenas a parte inferior da cuscuzeira ou panela de cozimento a vapor. Assim que ferver, abaixe o fogo para o mínimo, para evitar que a água suba e molhe a massa. Recoloque a grade tampada com os pães já recheados e crescidos. Como eles incham, deixe um pequeno espaço entre eles. Deixe cozinhar por 15 minutos, não abrindo a panela antes do tempo para que não murchem.

Renderam 6 unidades de 7 cm de diâmetro. Se fizer em grande quantidade, podem ser congelados depois de prontos.

01 novembro 2012

Não refrescou muito!



A chuva dessa madruga foi só prá baixar a poeira, mais nada?

30 outubro 2012

Pomar em festa

Apesar da seca, meu pomar está alegre, contagiando tudo ao seu redor!
A flor da cúrcuma, entre nós vulgo Ginseng da Madá, já deu seu ar da graça:

Percebí algo interessante. Essa flor anda!
Sim, ela anda!
Cada vez que ela floresce, é num local diferente, mais precisamente em linha reta, rumo ao sudoeste! Kkkkkkkk……

As mangas Bourbon caindo de maduras, vão forrando o chão:

Se você for mais rápido que os pássaros e os insetos, conseguirá pegá-las sem que ainda estejam refugadas!

As acerolas estão com uma cor tão apetitosa que eu não resistí, subí na escada e colhí algumas:

Claro, viraram um delicioso suco bem gelado, ultra-natural, sem sequer uma pitada de adoçante:

Quem nunca colheu a fruta não sabe, mas a aceroleira solta um tipo de pólen que em contato com a pele dá uma coceira danada!
Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Barra Mansa, a micropilosidade das folhas é que causa essa irritação na pele e coceira!
Como já postei anteriormente, existem alguns truques prá driblar esse problema: leia aquí.

E o mamoeiro vai bem, obrigado, continua crescendo, crescendo e crescendo! E nada de dar frutos!

Já contei prá vocês que existe o mamoeiro macho e o mamoeiro fêmea?
Pois é, já estou quase convencido de que o meu não é fêmea…

29 outubro 2012

Costelinha suína assada

Hoje me bateu aquela vontade de comer uma costelinha de porco bem passada, ou melhor, bem assada!
Corrí no supermercado e felizmente, peguei a senha do açougue de nº 523 e já estavam atendendo a de nº 518. Aguardei alguns minutinhos e fiz o pedido: uma costelinha suína bem magra!
De volta prá casa, foi tudo muito simples: temperei a carne de ambos lados com sal e aji-no-moto. Peguei uma assadeira, untei com óleo de canola e levei ao fogo. Assim que esquentou, coloquei a carne apenas para selar: 1 minuto de cada lado. Em seguida, levei a assadeira ao forno alto por 40 minutos. Passado o tempo, abaixei a temperatura e deixei mais 20 minutos. Foi só isso!
Ficou ma-ra-vi-lho-so!!!!!!!!!!!
Aos 40 minutos, o cheiro já invadiu a casa avisando: "já está quase pronto!".
Assim que ficou pronto, cortei as costelinhas e devorei! Kkkkkkkk…….


Sobá gelado com vagem e tomate

Com esse calorzão que vem fazendo últimamente, nada melhor que uma comidinha gelada e leve para não pesar no estômago!


Ingredientes para cada porção:
- 60 g de sobá
- 50 g de vagem macarrão
- 80 g de tomate longa vida
- 1 colher (sopa) rasa de queijo parmesan ralado
- 1 colher (café) rasa de aji-no-moto
- 1 colher (café) rasa de hondashi
- azeite de oliva extra-virgem

Modo de preparo:
- Corte a vagem em quadradinhos bem pequenos e reserve.
- Coloque água numa panela de cozimento a vapor ou cuscuzeira, aguarde ferver e coloque a vagem. Deixe cozinhando por 3 minutos. Com o auxílio de uma escumadeira retire a vagem e transfira para um refratário. Reserve.
- Cozinhe o sobá em água abundante até que fique al dente. 
- Enquanto isso, corte o tomate em cubinhos e reserve. 
- Cozido o sobá, escorra a água e esfrie o macarrão sob a torneira da pia. Escorra e junte ao refratário.
- Acrescente o tomate picado, tempere com aji-no-moto, hondashi e queijo parmesan ralado, regue com azeite de oliva extra-virgem a gosto, misture bem e deixe na geladeira até o momento de servir.

22 outubro 2012

Salada assada de batata doce e tomate



Não, não é uma pizza! Kkkkkkkkk
A idéia de preparo desta deliciosa salada, se é que posso chamá-la assim, me veio em mente depois de imaginar tanto os legumes de uma bacalhoada, como batatas assadas em pétalas. Não queria nem bacalhoada e nem sómente batatas assadas. Digamos um mix, seria perfeito! E assim surgiu o prato!

Ingredientes:
- 200 g de batata doce rosada
- 150 g de tomate longa vida
- 1 colher (sopa) rasa de pimentão verde picadinho
- 1 colher (sobremesa) rasa de queijo parmesan ralado
- 1 colher (sobremesa) rasa de fubá pré-cozido
- 1 colher (café) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- orégano a gosto
- óleo de canola
- azeite de oliva extra virgem

Modo de preparo:
- Descasque a batata doce e corte em fatias bem finas. Reserve.
- Corte o tomate em fatias finas. Reserve.
- Sobre um prato que possa ir ao forno, disponha as fatias de batata doce, forrando todo o fundo. Na sequência, distribua as fatias de tomate e sobre estas o pimentão verde picadinho. Regue com alguns fios de óleo de canola.
- Tempere com sal e aji-no-moto. Polvilhe o fubá e o queijo parmesan ralado uniformemente e finalize com orégano a gosto.
- Leve ao forno alto por 20 minutos.
- Retire do forno, reguie com azeite de oliva extra virgem a gosto e sirva. Pode ser consumido refrigerado.

15 outubro 2012

Cuscuz paulista de colher com carne moída, proteína de soja e legumes

Há muito tempo venho querendo preparar um cuscuz de colher e hoje me bateu aquela idéia de prepará-la com ingredientes incomuns a um cuscuz, mas que apesar disso não deixou o prato repreensível.
Muito pelo contrário, ficou simplesmente delicioso!!!!!!!!!!!


Ingredientes:
- 200 g de carne moída de primeira
- 2 colheres (sopa) cheias de proteína texturizada de soja em grãos
- 250 g de quiabos
- 350 g de tomates longa vida
- 2 colheres (sopa) cheias de cebola picada
- 1 colher (sopa) cheia de cebolinha picada
- 2 colheres (sopa) cheias de fubá pré-cozido
- 600 ml de água fria
- 1 colher (sobremesa) rasa de alho picado
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- 1 colher (café) rasa de pimenta do reino preta moída
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Coloque a proteína texturizada de soja em uma tigela, cubra com água fervente e deixe hidratando por 15 minutos. Passado o tempo, escorra a água com o auxílio de uma peneira, enxágue bem sob a torneira da pia e esprema bem o excesso de água. Reserve.
- Corte os quiabos em pedaços e reserve.
- Corte os tomates em cubinhos e reserve.
- Coloque 2 fios de óleo de canola numa wok e leve ao fogo alto. Assim que esquentar, coloque a cebola picada. Dê uma salteada e acrescente o alho picado.
- Na sequência, acrescente a carne moída e deixe fritando até que mude de cor. Acrescente os pedaços de quiabo, tempere com sal, aji-no-moto e pimenta do reino. Misture tudo para incorporar.
- Acrescente a água fria. Assim que ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhando por 3 minutos.
- Passado o tempo, acrescente os cubinhos de tomate e a proteína texturizada de soja. Deixe cozinhando por mais 3 minutos.
- Por fim, acrescente a cebolinha picada, aumente o fogo e coloque o fubá, misturando tudo até que fique consistente e sem líquidos.

Salada de chuchu e rúcula



Uma saladinha simples e gostosa, mas com um truquezinho que irá fazer a diferença: cozinhe o chuchu preferencialmente com antecedência, para que ele possa ser refrigerado, assim, geladinho, a salada ficará mais saborosa!

Ingredientes:
- chuchu
- rúcula
- sal
- aji-no-moto
- pimenta do reino preta moída
- orégano
- azeite de oliva extra virgem

Modo de preparo:
- Descasque o chuchu, retire a semente, corte em gomos e coloque numa panela. Cubra com água e leve ao fogo. Assim que ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 5 minutos ou até que fique al dente. Escorra a água, aguarde esfriar e mantenha sob refrigeração.
- Corte a rúcula em pedaços e forre o fundo de um prato ou travessa.
- Corte os gomos de chuchu em fatias finas e disponha-as sobre a rúcula.
- Polvilhe sal, aji-no-moto, pimenta do reino e orégano a gosto.
- Por fim, regue com azeite de oliva extra virgem a gosto.

12 outubro 2012

Filézinho suíno com verduras salteadas

Esse tempo é doido!!!!!!!
Ontem mesmo estava falando do calor que não dava trégua e de repente o inverno voltou não sei de onde! Kkkkkkkkk
Bom, friozinho dá mais fome, então preciso de mais sustância! De preferência algo rápido! Kkkkkkk

Tchan-tchan-tchan-tchan!

Que tal isso?


Ingredientes:
- filé mignon suíno
- cebola
- repolho
- cebolinha
- sal
- aji-no-moto
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Corte o filé mignon suíno em fatias de 1 cm. Reserve.
- Corte a cebola em meia lua. Reserve.
- Fatie o repolho. Reserve.
- Corte a cebolinha em 4 partes. Reserve.
- Coloque 2 fios de óleo de canola numa wok e leve ao fogo. Assim que esquentar, coloque as fatias de filé mignon suíno e abaixe o fogo. Quando a face inferior estiver dourada, polvilhe sal e aji-no-moto sobre a face superior e vire os filés para dourarem do outro lado. Retire e reserve.
- Aumente o fogo e na mesma wok, coloque a cebola e salteie por 30 segundos.
- Acrescente o repolho, tempere com sal e aji-no-moto e salteie até que tudo fique ligeiramente dourado mas não murcho.
- Acrescente a cebolinha e dê mais uma salteada. Sirva juntamente com os filézinhos.

Uma carne macia e suculenta, verduras crocantes! Não podia ter feito uma escolha melhor!
Vai muito bem com molho inglês, viu pessoal!

Antipasto de berinjelas para sanduíches



É de madruga que me bate aquela larica e como o calor não dá trégua, resolví preparar este recheio leve para os meus sandubas!
Não é a versão do antipasto da tia Nê - esse, segrêdo guardado a sete chaves - mas digamos, uma versão similar, até mais incrementada!

Ingredientes:
- berinjelas
- vinagre de maçã
- vinho branco seco
- sal
- aji-no-moto
- pimenta do reino preta moída
- alho bem picado
- pimenta calabresa desidratada
- alecrim desidratado
- salsinha bem picada
- orégano
- azeite de oliva extra virgem

Modo de preparo:
- Corte as berinjelas com a casca em fatias finíssimas e vá transferindo-as para uma bacia cheia d'água.  Se a quantidade for grande, utilize um processador. Deixe-as de molho por 15 minutos.
- Esprema bem com as mãos e reserve.
- Coloque numa panela 1 parte de vinagre de maçã para 1 parte de vinho branco seco. Leve ao fogo. Assim que ferver, coloque as fatias de berinjelas aos poucos. Escalde e transfira para um escorredor ou peneira. Faça isso com toda a berinjela. Se necessário acrescente mais vinagre e mais vinho.
- Mantenha no escorredor até esfriar e depois, transfira para uma bacia.
- Tempere com sal, aji-no-moto, pimenta do reino, alho bem picado, pimenta calabresa desidratada e alecrim desidratado. Acrescente a salsinha picadinha e o orégano e regue fartamente com azeite de oliva extra-virgem.
- Misture tudo muito bem e guarde em embalagem fechada sob refrigeração. 

Ficará mais saboroso se consumido a partir do dia seguinte, assim os tempêros ficarão mais incorporados.
Uma boa pedida: fatias grelhadas de pão integral!

09 outubro 2012

Suavizando a maturidade da pele



Substiane+ é um creme da La Roche Posay, que auxilia na luta contra o envelhecimento cutâneo, com perda de definição do rosto, rugas e secura.
Pelo fato de ser destinado à pele madura, costumo dizer que depois dele, só mesmo a cirurgia plástica! Kkkkkkkkk…….
Resolví adquirí-lo para conferir se o resultado é eficaz contra algumas linhas de expressão.
Não pensem vocês que eu estou assim acabadasso não! Kkkkkkkkk
Apenas fiquei na dúvida se continuo com o Redermic+ que venho usando ou se parto prá outra!

O Substiane+ é composto de:
- 5% de Pro-Xylano, que penetra no coração da pele, resubstanciando-a, reforçando o contorno do rosto, evitando o relaxamento dos tecidos cutâneos e atenuando as rugas
- 4% de Linactyl, reativador dos fibroblastos da derme superior, os mais afetados com o envelhecimento cutâneo.

Lembrando que nenhum creme faz milagre por si só, é muito importante uma alimentação balanceada e muita água!
No stress!!!!!

08 outubro 2012

Coxas de frango de panela com mandioquinhas



Ontem, logo que entrei no supermercado, já me deparei com a promoção de mandioquinhas.
Quando as vejo, logo penso numa sopa, mas com o calor que vem fazendo últimamente, não achei apropriado.
Como haviam coxas de frango no estoque, resolví preparar este prato que caiu muito bem com um risoto chinês e uma salada de abobrinha!

Ingredientes:
- 1 Kg de coxas de frango
- 500 g de mandioquinhas
- 2 colheres (sopa) cheias de cebola picadinha
- 1 colher (sopa) cheia de salsinha picadinha
- 1 colher (sobremesa) rasa de sal
- 1 colher (sobremesa) rasa de aji-no-moto
- óleo de canola

Modo de preparo:
- Coloque 5 fios de óleo de canola numa caçarola e leve ao fogo. Assim que esquentar, coloque a cebola picadinha. Assim que dourar, coloque as coxas de frango e refogue por alguns minutos.
- Cubra com água e assim que ferver, abaixe o fogo e deixe cozinhando por 15 minutos.
- Enquanto isso, descasque as mandioquinhas e corte em pedaços.
- Cozido o frango, acrescente a mandioquinha, tempere com sal e aji-no-moto e deixe cozinhando até reduzir totalmente o caldo, mas antes que isso aconteça, confira se a mandioquinha está cozida, caso contrário acrescente um pouquinho mais de água.
- Transfira para uma travessa, polvilhe a salsinha picada e sirva.